O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), prestigiou, de forma on-line, a abertura oficial do simpósio. A iniciativa é realizada através de parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e visa aproximar a comunidade acadêmica do Legislativo goiano

Pautado pelo compromisso de aproximar cada vez mais o Poder Legislativo da população goiana, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), participou, na noite desta quinta-feira, 24, da cerimônia remota de abertura do I Simpósio Politizar, edição 2020. A programação do projeto, que é idealizado em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), segue até o próximo sábado com a realização de seis painéis de discussão com abordagem de variados temas. Em seu discurso, o chefe do Parlamento goiano ressaltou a importância da iniciativa, que ano a ano tem batido recordes em número de inscritos. Segundo ele, um programa que “tem dado certo e que tem crescido a nível de Brasil”.

“Para nós é uma alegria imensa saber que temos como um dos principais projetos do Poder Legislativo o Politizar, um projeto que tem batido recordes e, este ano, mesmo com a pandemia, conseguiu superar o número de inscritos. No ano passado, em que nós estávamos em uma situação de normalidade, nós tivemos 508 inscritos e nesta edição nós registramos a inscrição de 780 jovens, atingindo 46 municípios goianos, além do Distrito Federal e o Rio Grande do Sul. Isso prova que este é um projeto sério e que visa aproximar ainda mais os nossos jovens da realidade do Poder Legislativo, bem como incentivá-los também a participar da vida política com transparência e seriedade. Sem dúvidas, é um projeto que tem dado certo e que tem crescido a nível de Brasil”, destacou Lissauer.

Também presente na solenidade virtual de abertura, o vice-governador do estado, Lincoln Tejota, comentou a relevância do Politizar ao citar o momento político pelo qual o Brasil passa, em que a sociedade tem se afastado da política. “O projeto vem como remédio da população. Aos que participam do Politizar, a política é uma ferramenta, para dar resposta aos problemas que nosso país passa. Temos que buscar a linguagem para falar com as pessoas, por que elas querem que a política atenda a vida delas”, pontuou.

Secretário chefe da Controladoria Geral do Estado de Goiás, Henrique Ziller frisou o quanto o projeto é interessante por oferecer aos jovens a oportunidade de conhecerem o trabalho realizado pela Controladoria. “É investido para despertar o interesse dos jovens. Tenho tido o privilégio de compartilhar nossos sonhos e intenções com a UFG. Vamos participar do programa e receber jovens na Controladoria”, reiterou.

Por sua vez, a deputada federal Flávia Morais (PDT), afirmou que a Assembleia Legislativa tem sido um exemplo de gestão participativa e que por meio do Politizar, será possível formar jovens políticos responsáveis. Ao ressaltar a importância da iniciativa para a juventude e a sociedade, a parlamentar destacou o valor de os jovens conhecerem as esferas do legislativo, a fim de trazer cada vez mais perto da sociedade, o entendimento das funções e ações do Parlamento. “Cada vez mais, a população vai ter discernimento para escolher seus representantes”, complementou, ao assinalar o interesse de que o projeto chegue à Câmara Federal.

Representante da Câmara de Goiânia, o vereador Andrey Azeredo (MDB), também ressaltou a importância do Politizar, e lembrou que, quando foi presidente da Casa municipal, iniciou as tratativas para que o programa fosse lá implantado. “Eles são nosso futuro, nosso amanhã. Eles podem contribuir para trazer as sugestões, do que pode se aplicado na cidade num momento de pandemia e crise econômica”, sugeriu.

Reitor da UFG, o processo Edward Madureira agradeceu pelas portas abertas da Assembleia e a ampliação do Politizar durante a atual gestão. Ao abordar a dimensão do programa, afirmou que a universidade está na coordenação, mas que o mesmo é aberto para qualquer aluno do Brasil. “A ideia é formar o jovem na política. Democracia caminha para melhor, para ir mais rápido, precisamos de instrumentos. Nada melhor que um programa como esse para fazer com que a política cumpra seu papel”, assinalou.

Também esteve presente na abertura do simpósio, o deputado federal Elias Vaz (PSB).

Programa de alto nível

Em um segundo momento, Laís Forti Thomaz, coordenadora do Programa de Extensão Politizar da UFG, além de agradecer o apoio da Assembleia, falou sobre a importância da iniciativa e pontuou sobre as temáticas a serem abordadas durante o simpósio. “Teremos uma programação de alto nível, composta por parlamentares que atuam nas comissões, que irão participar de painéis, além de professores da universidade”, explicou.

Ela também adiantou que em breve será lançado um aplicativo para ajudar as pessoas a fazerem projetos de leis e demonstrou como a ferramenta será utilizada.

Mariza Barboza, coordenadora do Politizar na Alego, ressaltou a necessidade do programa para reforçar a aproximação entre o Legislativo e a comunidade, com a participação da universidade. A coordenadora frisou que os projetos apresentados pelos participantes do programa viram leis na Assembleia Legislativa de Goiás.

Diretora da Faculdade de Ciências Sociais da UFG, Izabela Tamaso salientou o orgulho do programa para a faculdade. “Ele é vigoroso. A cada nova edição, cresce e se aprimora”, disse. Ela frisou que o Politizar deixou de ser um projeto e passou a ser um programa, que conta com outras unidades acadêmicas. “O projeto é de extensão das áreas de ciências humanas e sociais , essenciais para qualquer nação que queira se apresentar de forma inclusiva. Um país precisa das ciências humanas, garantir que os cidadãos tenham direito”, defendeu, ao comemorar as premiações recebidas pelo Politizar, com o Prêmio Advocacy Agenda 2030.

Por sua vez, a pró-reitora de Extensão e Cultura da UFG, Lucilene Sousa, ressaltou a importância do trabalho e o desafio de construir um evento virtual. Além de pontuar o valor do programa de extensão, ao levar o debate para os espaços, mostrar a interdisciplinaridade e a pujança na transformação social. “O Politizar permite formação cidadã. Estudantes podem propor leis, chegarem lá e defendê-las.”

Rosangela Carreira, da Faculdade de Letras, discorreu sobre a participação da faculdade no Politizar, já que é responsável pela organização da prova de redação para avaliação dos alunos que foram aprovados para participarem do programa, além de ser responsável pela banca avaliadora. Ao ressaltar sobre a importância do Politizar, disse que é uma oportunidade para os alunos de Libras, que com o programa, do qual se orgulha por fazer parte, já trabalham com interpretação e aprendem sobre inclusão.

Após a abertura oficial do simpósio, o professor Creomar Sousa, da UFG, ministrou palestra, em que abordou o tema participação política. Todo o simpósio será transmitido pelo canal oficial da UFG, e também pela TV Assembleia, em seu canal no Youtube, ou pelo canal 3.2, da TV Aberta.

Faça parte da Lista de transmissão no

Whatsapp

Receba atualizações exclusivas e tenha participação ATIVA nas discussões e pesquisas.

Faça parte da Lista de transmissão no

Whatsapp

Receba atualizações exclusivas e tenha participação ATIVA nas discussões e pesquisas.

redes sociais

siga e participe do nosso trabalho

Apoie a nossas causas, curtindo, comentando e compartilhando nossos conteúdos.

1 of 93