Através da articulação do presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) junto à OVG, as faculdades e universidades ligadas a essas fundações, entre elas, a Universidade de Rio Verde (UniRV), também terão acesso às bolsas de estudos ofertadas pelo governo de Goiás

Sempre atento às demandas dos diversos segmentos da sociedade, em especial, da comunidade escolar, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), se reuniu na tarde desta quinta-feira, 28, com a primeira-dama do Estado e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Gracinha Caiado, juntamente com o reitor da Universidade de Rio Verde (UniRV), Alberto Barella e o membro do Conselho Estadual de Educação (CEE), professor Tatão, para tratar da inclusão das faculdades e universidades vinculadas às fundações municipais no Programa Universitário do Bem (ProBem).

De acordo com o chefe do Poder Legislativo, a partir de agora as unidades de educação ligadas a essas fundações também poderão fazer parte do projeto, ampliando, dessa forma, o acesso dos estudantes de baixa renda ao ensino superior. “Com o nosso empenho e articulação, fomos informados pela primeira-dama que a bolsa universitária da OVG também será estendida às faculdades com vínculo nas fundações municipais, como é o caso da Universidade de Rio Verde. Uma conquista importante que vai ao encontro de milhares de goianos”, ressaltou.

Alberto Barella, reitor da UniRV, agradeceu ao chefe do Legislativo goiano pelo esforço e diálogo junto à OVG para viabilizar a medida. “Nós, da Universidade de Rio Verde, agradecemos muito ao deputado Lissauer por estar sempre empenhado e defendendo as nossas instituições de ensino, os nossos alunos e também os nossos servidores”, disse.

Programa Universitário do Bem (ProBem)

Aprovado por unanimidade pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) em dezembro do ano passado, o Programa Universitário do Bem (ProBem), antigo Bolsa Universitária, possui caráter socioassistencial e visa a promoção do protagonismo e maior autonomia dos beneficiários, por meio da concessão de bolsas de estudos para o ensino superior, mediação e integração ao mundo do trabalho e fomento à participação cidadã aos jovens em situação de vulnerabilidade social.

Pelo programa serão concedidas bolsas integrais e parciais que corresponderão a 100% e 50% do valor da mensalidade, que serão repassadas diretamente à Instituição de Ensino Superior (IES) pela administração do ProBem. Para a maioria dos cursos, as bolsas parciais serão de até R$ 650 e as integrais chegarão a até R$ 1,5 mil. Para Medicina e Odontologia os valores alcançarão até R$ 2,9 mil para bolsa parcial e até R$ 5,8 mil para integral. Os valores serão reajustados de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O aluno inscrito no ProBem será submetido a um processo de seleção onde será formado um indicador sintético multidimensional de pobreza com base nas suas informações atualizadas no Cadastro Único, analisando dados como a composição familiar, características demográficas dos indivíduos, qualidade da moradia, mercado de trabalho e rendimentos, e dificuldade de acesso à educação, inclusive com a análise da existência de familiares (como pais) analfabetos ou semianalfabetos. Em cada processo seletivo de concessão de bolsa serão reservados 5% do total de bolsas, integrais e parciais, para candidatos com deficiência.

Faça parte da Lista de transmissão no

Whatsapp

Receba atualizações exclusivas e tenha participação ATIVA nas discussões e pesquisas.

Faça parte da Lista de transmissão no

Whatsapp

Receba atualizações exclusivas e tenha participação ATIVA nas discussões e pesquisas.

redes sociais

siga e participe do nosso trabalho

Apoie a nossas causas, curtindo, comentando e compartilhando nossos conteúdos.

1 of 93